“Para além de promoverem a literatura e a lusofonia na cidade de Penafiel, entenderam voar mais alto, e levar este evento além fronteias, e chegar aos países da lusofonia”. As palavras são do escritor angolano Pepetela que hoje foi homenageado no âmbito do Escritaria, evento que fez as malas e viajou até à cidade de Benguela.

Refira-se que, a frase “a transferência de conhecimentos, ideias e emoções através dos livros devia ser eterna, mas está em risco”, da autoria de Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, conhecido pelo pseudónimo de Pepetela, ficou marcada no património urbano de Penafiel, em 2018, mas foi agora também replicada em Benguela, e que se configura uma forma de dar ênfase a este tipo de eventos.  

Durante a cerimónia de abertura, que contou a presença do autarca de Penafiel, Antonino de Sousa, o autor de “A Geração da Utopia” mostrou-se comovido com esta iniciativa e enalteceu “a missão deste festival literário” que, ao ir além-fronteiras, se transforma num “projecto único que envolve uma comunidade à volta de um autor”

Para além do município, esta ‘viagem cultural’ contou com o apoio do empresário de Penafiel António Carvalho, que reside em Benguela e que terá sido um dos impulsionadores para que este evento voasse até Benguela, ao dar “apoio ao nível da logística e das estruturas colocadas na exposição, patente no instituto, e que irá circular por outras províncias de Angola”, sublinha a autarquia.

Publicidade

Citado em nota de imprensa, o penafidelense disse ter sido “um desafio muito gratificante destacar a língua e a literatura Portuguesa, além de ser uma alegria ajudar a trazer para Angola um evento da minha terra e receber a comitiva” oriunda de Penafiel.

Depois deste périplo por Angola, o Escritaria viaja, em Março ou Abril, até à cidade de Mindelo, em Cabo Verde, tendo na agenda uma homenagem ao escritor Germano Almeida.

Cartazes com a obra, ilustrações de rua com a imagem do autor, faixas e as já célebres caixas de cartão, com a foto do caboverdiano, que se descreve como um “contador de histórias”, vão ser replicados em Mindelo, não deixando dúvidas de que 2013 marca o arranque da internacionalização deste festival que teve a primeira edição em 2008.

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here