As obras da sala de abate para o capão em Freamunde já começaram, mas as “burocracias” têm colocado “entraves” ao processo, impedindo que este produto cresça.

Ricardo Graça, da Associação de Criadores de Capão de Freamunde, explicou, durante a conferência de imprensa de apresentação da XVII Semana Gastronómica do Capão à Freamunde, que decorre entre 1 e 13 de Dezembro, que estão a tentar ultrapassar essas questões burocráticas. “Enquanto não pudermos por o capão em casa das pessoas, em qualquer parte do mundo, o capão [produto] não vai crescer muito mais que isto”, sustentou.

“O capão está a fazer um caminho, mas ainda há muitas arestas a limar. Algumas questões envolvem burocracia e demoram o seu tempo. Já se consegue garantir o capão o ano inteiro, há uns anos atrás isso não era possível. Mas o capão ainda não chegou ao seu pico. Precisamos de dar o passo seguinte no abate e no transporte para que possa estar todos os dias em todas as casas”, sustentou também o vereador Júlio Morais, da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, realçando o trabalho já feito, nomeadamente com a certificação do capão.

Como foi referido, no ano passado, esta sala de abate permitirá ter capão de Freamunde embalado disponível durante todo o ano para os apreciadores desta iguaria, levando mais longe este produto da região. Estava previsto que o espaço, “certificado”, ficará instalado na incubadora de associações.

Segundo Ricardo Graça, a produção de capão em Freamunde está “assegurada”, conseguindo responder à procura, tendo a Associação 47 sócios e 12 criadores em processo de certificação.

O presidente de Junta de Freamunde, Arménio Ribeiro, realçou a importância de se continuar a “alavancar” o capão, pela importância que tem para a cidade de Freamunde e também defendeu que “é preciso ajudar e acarinhar os criadores de capão”. Começam, por exemplo, a desaparecer “as senhoras que se dedicam à castração”, referiu.

Take-away continua e haverá concursos de melhor capão vivo e cozinhado

O capão à Freamunde, que já tinha 48 embaixadores, ganhou agora mais cinco: o Chef Estrela Michelin Filipe Carvalho, do 50 Seconds, Lisboa; o Chef Estrela Michelin Arnaldo Azevedo, do Villa Foz Hotel & Spa, Porto; o Chef Fábio Alves, do Restaurante Suba, Lisboa; o Chef Vítor Adão, do Plano, Lisboa; e Pedro Ribeiro da ANCAVE – Associação Nacional dos Centros de Abate e Indústrias.

A Semana Gastronómica decorre entre os dias 1 e 13 de Dezembro, com 11 restaurantes aderentes: Aidé Paços Ferrera Hotel; Casa de São Francisco Wine Bar; Restaurante São Domingos; Restaurante Al´Capão; Restaurante O Gusto; Restaurante Tapper; Restaurante O Marceneiro; Restaurante A.Rei.A; Restaurante O Tarasco; Restaurante Parrilhada e Restaurante a Presa.

Além de ser possível degustar esta iguaria nos restaurantes também vigorará a oferta de take-away iniciada na pandemia, permitindo comer capão em casa.

Como é habitual, será realizado um jantar e concurso de melhor capão já confeccionado a 12 de Dezembro e, a 13 de Dezembro, há a Feira de Santa Luzia (Feira dos Capões), em Freamunde, em que decorre o concurso do melhor capão vivo.

Estas iniciativas são promovidas pela Câmara de Paços de Ferreira, pela Junta de Freamunde, pela AJAF – Associação Jovens ao Futuro e pela Associação de Criadores de Capão de Freamunde.

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here