Uma das iniciativas solidárias dos motards em Paredes

Chama-se ‘O Salvador’ e é um evento solidário que vai acontecer no dia 22 de Maio, das 15h00 às 22h00, no Multiusos de Alfena, Valongo, com o objectivo de angariar dinheiro para pagar tratamentos a cinco meninos de Penafiel, Fafe, Porto, Leça da Palmeira e Vila Nova de Gaia que sofrem de doenças como paralisia cerebral, atrofia muscular espinal e pé boto bilateral.

A iniciativa é do projecto motard ‘O Salvador’, do Porto, que cria eventos com a finalidade de angariar fundos e doações associações ou pessoas com doenças ou que passem dificuldades financeiras, e conta com o apoio do Motoclube Cavaleiros Boreales, com sede em Ermesinde, Valongo.

O Renato, o Gabriel, o Brian, o Mateus e o Ismael são as crianças que vão ser ajudadas neste evento que vai trazer a Alfena o cantor Leandro, que participa no Big Brother, assim como a Banda 5ª Lua, RafaFjam, os Cusca Maria e para os mais pequenos vai actuar o Palhaço Mix (programa em baixo). Durante a tarde, além de haver comida e bebida, vai ser sorteada uma camisola do Boavista Futebol Club, autografada por todos os jogadores do plantel principal.

Em entrevista ao Verdadeiro Olhar, Marcos Oliveira, vice-presidente da assembleia-geral do Cavaleiros Boreal e mentor do projecto solidário ‘O Salvador’, contou que a “essência” deste evento passa por “pagar a terapêutica a estas crianças, porque o Estado falha nesta sua competência”.

A entrada para o que apelida de “festa de família” custa 10 euros, sendo que crianças até aos 16 anos não pagam, e a verba arrecadada vai ser entregue “às clínicas onde estes cinco meninos fazem reabilitação”, explicou o dirigente.

E como é que nasceu este projecto solidário? Marcos Oliveira explica que é uma pessoa que tem um inexplicável “gosto em ajudar os outros”. No início do pandemia, tomou conhecimento do caso de um bebé com uma doença rara, com os pais, desempregados, “”sem dinheiro e que tinham apenas um terço de um pacote de arroz em casa”. O também motard recorda que tinha “25 euros no bolso” e que só ia receber o salário no dia seguinte, mas nem hesitou. Depois, a mulher de Marcos Oliveira, que tem um cabeleireiro, falou com as clientes do salão e depressa conseguiram “angariar mais de 200 euros”. A partir daí, nunca mais pararam as iniciativas que visam ajudar quem precisa.

Desde uma mãe solteira que ficou sem casa devido a um incêndio, a um casal acamado, a muitas outras crianças doentes, a vida deste homem, que é do Porto, motorista de peças auto, assim como da mulher, mudou completamente e, hoje, só pensam em ajudar o próximo.

Marcos Oliveira é pai de Salvador, um menino de dois anos que não tem qualquer problema de saúde. Decidiu pôr o nome do filho a esta associação, porque quer que o filho cresça imbuído num espírito “solidário e de ajuda ao próximo”.

“Hoje são os outros a precisar, amanha posso ser eu, nunca se sabe”

E a prova de que o coração de Marcos Oliveira não tem tamanho, para conseguir levar a bom porto este evento em Alfena, teve que vender a mota. Porque um organização desta grandeza exigiu que tivesse que se colectar, fazer seguros e pedir um sem número de licenças, entre outras coisas. Como não conseguia pagar estas despesas, vendeu a mota. Está triste? Marcos Oliveira trata logo de dizer que não, porque o fez por algo que lhe enche o coração e “hoje são os outros a precisar, amanha posso ser eu, nunca se sabe”, sublinhou.

Já a sua ligação ao Cavaleiros Boreales, que também têm um cunho de ajuda aos animais e ao próximo, é relativamente recente. Nasceu da união entre o amor pelas motas vestido de solidariedade. E fica feliz quando os companheiros de estrada lhe dizem que quando o conheceram perceberam que “ainda existem boas pessoas no mundo”. E Marcos Oliveira é mesmo a prova disso. Agora, só espera ver no dia 22, em Alfena, muitas pessoas solidárias como ele e que queiram ajudar estes cinco meninos a terem uma vida melhor.

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here