“Em Lousada não existe o Partido Socialista, em Lousada existe o partido da Câmara”. Foi essa a principal acusação política deixada por Leonel Vieira, o novo presidente do PSD Lousada. A tomada de posse dos novos órgãos concelhios da comissão política aconteceu, no sábado, numa quinta, em Ordem, e o social-democrata não deixou de aproveitar o discurso para aludir às “relações promíscuas entre as instituições e os partidos”.

“Em Lousada, em termos democráticos, é difícil respirar”, já que os “dirigentes do PS fomentam a dependência e a subsídio-dependência”, sustentou, falando em 36 anos de vícios, de acordo com comunicado enviado, e pedindo uma mudança em 2025.

Na intervenção realizada, Leonel Vieira expôs algumas das preocupações que já têm sido levantadas pelo partido da oposição em reuniões de câmara e assembleias municipais.

Um deles é o do aterro sanitário da RIMA, em Lustosa, que recebeu, no passado, alegados resíduos perigosos provenientes de Itália. “Para vergonha nossa, a Câmara Municipal aceitou que, para Lousada, viessem milhares de toneladas de resíduos de Itália”, criticou, referindo que na última Assembleia Municipal pediu a constituição de uma comissão técnica independente para analisar o tipo de resíduos ali depositados. “A provar-se o que diz o Governo sobre a sua perigosidade, deverão ser removidos e o enterro encerrado” argumenta o social-democrata.

Outro dos problemas prende-se com os serviços públicos no concelho, desde a conservatória, as Finanças e os CTT, que têm “falta de funcionários” e não prestam “um serviço de qualidade”. Apesar dos muitos alertas do PSD, “o senhor presidente de Câmara não teve força, não teve arte, nem engenho para resolver este problema”, lamentou, lembrando que já propuseram ao executivo socialista a criação de uma Loja do Cidadão em Lousada.

No concelho também não há uma “rede de transportes públicos funcional” e não se podem passar mais cinco anos “para encontrar uma solução para este grave problema”, advoga Leonel Vieira, referindo-se, segundo comunicado, ao facto de o presidente da autarquia ter manifestado a intenção de contratar um professor universitário para realizar um estudo a ser apresentado daqui a cinco anos. “O PSD compromete-se a apresentar na Câmara Municipal, não em cinco anos, mas em cinco meses, um estudo para a criação de uma rede municipal de transportes”, garantiu o novo rosto do PSD Lousada.

Leonel Vieira mostra-se ainda preocupado com os baixos indicadores económicos relativos aos rendimentos das famílias lousadenses, uma situação que se estende a todo o Tâmega e Sousa. “Faz sentido Lousada continuar na CIM do Tâmega e Sousa? Ou, por outro lado, não seria preferível aderir à Área Metropolitana do Porto?”, questionou, prometendo uma reflexão sobre o tema.

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here