Projecto-piloto com fins educativos quer mais abelhas na Mata de Vilar

Vai ser instalado um apiário que será mais um instrumento de pedagogia ambiental e trará benefício ecológico

0
Foto: Câmara de Lousada

A Câmara de Lousada vai avançar com um projecto-piloto para a fixação de polinizadores na Mata de Vilar. Vai ser estabelecido um contrato de parceria com um apicultor para a instalação de um apiário que será usado para “promover actividades de educação ambiental em matéria de polinização, promovendo o contacto próximo destes importantes seres vivos para o equilíbrio dos ecossistemas”, continuando a estratégia de educação ambiental do município, refere Manuel Nunes, vereador do Ambiente.

“O projecto-piloto para a fixação de polinizadores, tem como objectivo valorizar a maior mancha florestal nativa contínua do concelho de Lousada, salvaguardando-a ecologicamente”, explica o autarca ao Verdadeiro Olhar. “A fixação de projectos pró-polinizadores é ainda pertinente atentando ao cariz pedagógico deste equipamento florestal, uma vez que a temática será integrada no Programa de Educação Ambiental da Mata de Vilar. Assim, a fixação de um pequeno apiário na Mata de Vilar na qualidade de projecto-piloto permite acrescentar um instrumento de pedagogia ambiental, de benefício ecológico da Mata de Vilar e de promoção do empreendorismo rural deste equipamento, concebendo um produto local como o mel, que contribui para a promoção directa local, regional e nacional da Mata de Vilar”, atesta ainda Manuel Nunes, frisando que esta parceria “engloba a realização de visitas/actividades pedagógicas nas quais seja possível visualizar a gestão de um apiário, identificar os momentos principais da produção do mel e sublinhar a importância ecológica das abelhas e da polinização”.

Este projecto está inserido na estratégia de educação ambiental da autarquia. E nasce também pela compreensão da realidade mundial. “Os últimos dados científicos de estudos internacionais demonstram o declínio global dos polinizadores, cujo impacto negativo ultrapassa o equilíbrio dos ecossistemas mas também a sustentabilidade alimentar: 35% das plantas utilizadas para a produção de alimentos, em todo o mundo, dependem de polinizadores de acordo com a FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura”, diz o vereador do Ambiente.

Recorde-se que, também como medida amiga dos polinizadores, a Câmara de Lousada deixou de cortar a relva em alguns espaços. “Certamente que daremos continuidade a esta iniciativa, promovendo, dessa forma, uma maior e melhor compreensão da comunidade local relativamente à problemática da conservação dos insectos polinizadores”, indica Manuel Nunes.

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here