Depois de terminado o jogo eleitoral, a classificação final não deixa margem para dúvidas: o Partido Socialista ganha cada vez mais força no distrito do Porto e na região do Vale do Sousa, reforçando as maiorias dos seus atuais autarcas e conquistando mais uma Câmara Municipal, a de Vila do Conde, recuperando não só um bastião, como acrescentando mais uma autarquia às 11 que já detinha desde as últimas eleições autárquicas de 2017.

Na região do Vale do Sousa, os concelhos conquistados em 2017 – Felgueiras e Paredes – arrecadaram estrondosas vitórias, quer nas votações para a Câmara Municipal e Assembleia Municipal, quer mesmo no número de Juntas de Freguesia. Paços de Ferreira e Lousada confirmaram a tendência de vitória, com resultados expressivos, conduzindo a um cenário de liderança na Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa.

Dos resultados do passado dia 26, constatamos ainda uma aproximação clara do Partido Socialista em Amarante, numa autarquia conquistada pelos sociais-democratas em 2013, num claro sinal de expetativa para o próximo ato eleitoral, que terá a imposição por limitação de mandatos da saída do atual autarca, o que abrirá uma janela de oportunidade para os socialistas, alimentada pela vitória em Juntas de Freguesia até então sob o domínio do PSD, como a União de Freguesias do centro da cidade.

Em Penafiel, num contexto político difícil, onde o PSD se encontra no poder há mais de 20 anos, o Partido Socialista apresentou uma solução alternativa de mudança que mobilizou os penafidelenses, depois de uma estratégia agressiva do atual Executivo, que arrecadou vários Presidentes de Junta eleitos pelo Partido Socialista em 2017 para integrar as listas da coligação de direita.

O PS acabou por se apresentar a estas eleições com um projeto digno, que mereceu o respeito de Penafiel, agregando nas suas fileiras diversas personalidades de diferentes quadrantes políticos, numa coligação com o Partido RIR, que veio de novo mostrar que é possível fazer melhor por Penafiel.

Destas autárquicas resulta a ideia de que se consolidaram as bases para o futuro, sabendo que o atual Presidente de Câmara não se poderá candidatar em 2025, o que fará revelar a oportunidade para Penafiel repensar um trajeto sem fulgor da nossa terra, que merecia outra ambição e capacidade para afirmar o município na liderança do Vale do Sousa, tal como já se posicionou no passado.

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here