Sáb 23 Ago 14 | .a Edição | Director: |     
   
Assinatura Ficha Técnica Classificados Informações Úteis Contactos
  por: Roberto Bessa Moreira  
Sérgio Carlos Vasconcelos, de 35 anos, foi transportado de helicóptero para Lisboa
Motorista ficou coberto de alcatrão e está em perigo de vida
Um acidente, em Cabeça Santa, Penafiel, com um camião cisterna carregado com alcatrão quente provocou, na tarde desta terça-feira, ferimentos muito graves num motorista. Sérgio Carlos Vasconcelos, de 35 anos e residente em Fornelos, Águeda, foi transportado no helicóptero do INEM para o Hospital Santa Maria, em Lisboa, com queimaduras em todo o corpo e em risco de vida.

As causas do acidente de trabalho ainda são desconhecidas, sabendo-se apenas que Sérgio Carlos Vasconcelos estava junto de um camião cisterna que se preparava para descarregar uma carga de uma massa betuminosa na M. dos Santos SA, empresa situada na zona industrial de Cabeça Santa e que produz material para pavimentação de estradas.

Queimaduras em todo o corpo colocam fyncionário em perigo de vida

Eram 15h15 quando o camião cisterna da empresa Transportes Paulo Duarte estava pronto para iniciar as manobras de descarregamento da massa betuminosa utilizada no fabrico de alcatrão.

Foi também a esta hora que Sérgio Carlos Vasconcelos se dirigiu à parte de trás do camião cisterna para abrir a válvula situada na parte superior do reservatório. Segundo informações recolhidas pelo VERDADEIRO OLHAR, o funcionário teve algumas dificuldades para abrir a tampa da cisterna que acabou por provocar o acidente. É que na altura que foi aberta a tampa, a massa betuminosa – que estava a altas temperaturas – saiu em forma de jacto, apanhando o operário.

O homem de 35 anos foi imediatamente assisitido pelos Bombeiros de Entre-os-Rios e pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Vale do Sousa. Porém, as queimaduras muito profundas levaram a que o médico pedisse o apoio do helicóptero do INEM, que aterrou, já depois das 16h00, no campo de futebol de São Miguel de Paredes.

Foi aí que os médicos estiveram, durante quase duas horas, a tentar estabilizar a vítima para que a viagem até Lisboa fosse o mais segura possível. Devido às dores intensas, também induziram Sérgio Carlos Vasconcelos em coma.

"A vítima apresentava queimaduras em todo o corpo, mas sobretudo na cara. Corria risco de vida, uma vez que o alcatrão quente atingiu-o nos olhos, nariz e em alguns órgãos vitais", revelou o comandante dos Bombeiros de Entre-os-Rios, Luís Neves.

No local do acidente esteve um representante da Transportes Paulo Duarte, mas nem ele nem responsáveis da M. dos Santos SA se mostraram disponíveis para explicar as causas da explosão da cisterna.

 

Vítima era funcionário de uma empresa de trabalho temporário

Sérgio Carlos Vasconcelos era funcionário da Newtime, empresa de trabalho temporário à qual os responsáveis da Transportes Paulo Duarte recorreram para recrutar alguns trabalhadores. Apesar disso, não era à primeira vez que este homem de Águeda se deslocava à M. dos Santos que, por sua vez, tinha encomendado a massa betuminosa à Repsol.

As ligações laborais, assim como as causas que provocaram o acidente, estão a ser investigadas pela Autoridade para as Condições de Trabalho, cujos investigadores estiveram em Cabeça Santa a analisar o acidente.

 
 
 
 
© 2014 Verdadeiro Olhar, Publicações Periódicas, Lda