Dom 21 Dez 14 | .a Edição | Director: |     
   
Assinatura Ficha Técnica Classificados Informações Úteis Contactos
  por: Fernanda Pinto  
Produzidos através de uma parceria entre empresa de mobiliário e uma óptica pacense óculos poderão estar no mercado daqui a um mês
Protótipo de óculos com armação em madeira apresentado na inauguração da 40.ª Capital do Móvel
Duas empresas pacenses lançaram-se num projecto pioneiro: a produção de uma armação para óculos totalmente fabricada em madeira. Os primeiros protótipos foram apresentados na inauguração da 40.ª Feira Capital do Móvel, no passado sábado, e a comercialização deste produto pode começar já dentro de um mês.


Os modelos foram desfilados pelo actor Nuno Janeiro, que participou na série "Morangos com Açucar" e na novela "Dancin' Days", que marcou presença na inauguração da feira.

Já o secretário de Estado de Emprego, Pedro Roque, levou o protótipo para casa, elogiando a forma de estar dos empresários pacenses, que respondem aos desafios de mercado com produtos inovadores. "Paços de Ferreira é um bom exemplo na região norte", afirmou.


Empresas conjugaram conhecimentos


As empresas Móveis Barbosa Neto e o Centro Óptico Boa Imagem aliaram o seu know-how para desenvolver um produto novo e inovador, no concelho e no país.

Há um ano e meio a ideia não passava de uma brincadeira, explica Sérgio Barbosa, administrador da Móveis Barbosa Neto, uma empresa com mais de 30 anos. "Mas temos por norma que na nossa empresa não existem impossíveis e estamos sempre abertos a desafios", referiu. Por isso, começaram a desenvolver os protótipos das armações para óculos totalmente em madeira. Em Dezembro passado, encontraram no Centro Óptico Boa Imagem o parceiro e o conhecimento que faltava para acabar de desenvolver o produto. "Estamos quase no produto final. Dentro de um mês poderemos estar em produção", garante Sérgio Barbosa. "Estamos convencidos que pode ser um produto inovador e diferenciador, uma mais-valia para a empresa. Já fizemos clientes internacionais ficar admirados", acrescenta o empresário.

A ideia também agradou a Alexandre Costa, que por ter sede do grupo de ópticas (oito lojas no total) em Paços de Ferreira, já importava há alguns anos hastes em madeira. "O nosso slogan é 'a óptica da terra' e por isso um produto ecológico, produzido na Capital do Móvel e em madeira parece-nos uma mais-valia", afirma o administrador do Centro Óptico Boa Imagem. "É uma ideia pioneira e inovadora, que marca pela diferença e que pode levar outros empresários da região a pensar e a produzir outras coisas além do mobiliário, o que é preciso é criatividade", defende Alexandre Costa.

Estes novos óculos "made in Capital do Móvel", muito "cómodos e leves", estão agora na fase final de prototipagem. Para já, estão a ser produzidos em ébano e nogueira, mas poderão ser feitos em qualquer outra madeira. O modelo final deverá ser apresentado dentro de um mês, altura em que serão também divulgados os preços desta nova armação.

Até lá, quem os quiser espreitar pode fazê-lo no Ferrara Plaza, na Feira Capital do Móvel ou nas montras do Centro Óptico Boa Imagem.

 

Estádio da Mata Real passa a chamar-se "Capital do Móvel"


Nesta 40.ª Capital do Móvel foi assinado um protocolo de colocaboração entre a Câmara Municipal, a Associação Empresarial de Paços de Ferreira e o Futebol Clube de Paços de Ferreira. O objectivo é alterar o nome do estádio da Mata Real para Capital do Móvel. A troca permitirá "apoiar a principal actividade económica de Paços de Ferreira". Trata-se de "ajudar e homenagear o tecido económico do concelho, que em muito contribuiu para o crescimento e sustentação do clube nos seus 63 anos de vida", afirmam os responsáveis dos castores.

Na inauguração do certame, o presidente da AEPF, Hélder Moura, destacou o trabalho da associação empresarial nas áreas da formação e da internacionalização das empresas. Já o presidente da Câmara Municipal, Pedro Pinto, realçou o "esforço enorme dos empresários para enfrentarem a tempestade".

Esta 40.ª edição da Capital do Móvel conta com 80 empresas e a AEPF prevê que, até ao próximo dia 17 de Março, seja visitada por 20 mil pessoas. A Associação Empresarial antevê que o volume de negócios gerado pode rondar os quatro milhões de euros.

 

 
 
 
 
© 2014 Verdadeiro Olhar, Publicações Periódicas, Lda